terça-feira, 11 de janeiro de 2011

CALAFRIO (Os Lobos de Mercy Falls #1)

Photobucket

Grace foi mordida por lobos e só sobreviveu ao ataque porque um destes animais, com estranhos olhos amarelos, salvou-a. Anos depois, uma morte causada por um novo ataque da alcatéia leva a comunidade de Mercy Falls a iniciar uma retaliação contra os lobos e faz Grace se deparar com um garoto de olhos amarelos em sua varanda. E ela não tem dúvida de quem se trata.
CALAFRIO (Os lobos de Mercy Falls #1)
MAGGIE STIEFVATER
340 páginas.
Nova Fronteira, 2010.



Posso começar dizendo que será uma tarefa difícil falar sobre Calafrio. Não, eu não gostei do livro. Ao mesmo tempo, não posso simplesmente esculachá-lo sem maiores explicações, e está aí minha maior dificuldade: buscar explicações de porque não aprovei a estória de Sam e Grace.

Então, vamos lá. Calafrio (Shiver, no original) é o primeiro livro da trilogia “Os Lobos de Mercy Falls”, escrita por Maggie Stiefvater e composta ainda por Linger e Forever, este último com previsão de lançamento para julho deste ano nos EUA. A estória nos apresenta Grace, uma estudante do ensino médio que fora mordida por lobos na infância enquanto brincava no balanço de sua casa, localizada nas proximidades de um bosque habitado por esses animais. Grace lembra-se apenas de ter sido salva por um lobo com olhos amarelos, que nos anos que se seguiram estava sempre rondando a casa de Grace, observando-a a distância. A protagonista desenvolve, então, um encantamento por estes animais e, em especial, pelo lobo que a salvou.

No último ano de Grace no colegial, Jack Culpeper, um detestável colega de escola, aparece morto, atacado por lobos. Tal fato desencadeia uma comoção na cidade de Mercy Falls e dá vazão a uma caça aos lobos organizada pelos moradores locais. E é nesse cenário que Grace conhece Sam, um garoto que aparece na varanda de sua casa, desnudo e atingido por um tiro, com os mesmos olhos amarelos do lobo que a havia salvado anos antes. E ela não tem dúvidas que Sam é o “seu” lobo, mas agora em forma humana.

Esse é um resumo básico e sem spoilers da estória de Calafrio, que é, antes de tudo, uma estória de amor entre Sam, um lobisomen (duh), e Grace. A primeira metade do livro foca-se basicamente na relação entre os dois, relação esta que, devo dizer, não me agradou.

Sabe aqueles amores platônicos, em que um se sacrificaria pelo outro sem nunca ter trocado mais de meia dúzias de palavras com o objeto de afeição? Aquele ideal de amor romântico no melhor estilo Lord Byron e século XVIII? Exatamente. É isso que você vai encontrar em Calafrio. Não que seja ruim, mas não é o tipo de romance sobre o qual eu gosto de ler. E gostaria de frisar esse ponto, porque o relacionamento entre os dois não é mal desenvolvido (e eu estaria sendo injusta se afirmasse isso), mas é desenvolvido nessa linha e, pessoalmente, ela não me agrada.  

E o próximo livro que eu ler com um casal absolutamente dependente um do outro será queimado. De verdade.

 Pois é.

Li uma resenha em inglês para “Os Lobos de Mercy Falls” que afirmava: “Calafrio é Crepúsculo se Bella tivesse escolhido Jacob”. Exagero? Possivelmente, mas fica difícil não traçar um ou outro paralelo. E agora entendo a frase do The Observer na capa do livro: “Se você é fã de Crepúsculo, vai amar Calafrio”. Verdade. O tipo de amor retratado em ambos é bastante similar, mas Calafrio tem muitos méritos que a saga (gasp) dos vampiros brilhantes não. Por isso, numa dedução lógica, digo: se você gostou de Crepúsculo, é quase impossível não gostar de Calafrio; se não gostou, dê uma chance à Calafrio caso esse tipo de romance te agrade; e, se não gostou de Crepúsculo e acha Lord Byron um chato, passe longe da estória de Mercy Falls!

E que méritos são esses que Crepúsculo nem sonha em possuir? Acho que podemos sintetizar com quatro palavras: Calafrio é bem escrito. Maggie Stiefvater é fantástica. Ela escreve de modo poético (que as vezes soa forçado, mas funciona na maior parte do tempo) e te faz ter uma estranha sensação de frio o tempo todo durante a leitura (tomem nota: caso queiram le Calafrio, favor fazê-lo durante o verão para comprovar esse estranho fenômeno). É bizarro, de um jeito muito legal. E tem tudo a ver com o título e a estória.

Quanto às personagens, Grace é ousada e prática, e não pira a la Bella Swan e “Os  sofrimentos do Jovem Werther” durante o livro. Sam, num contraponto interessante, é artístico e tímido. Mas gostaria de informações adicionais sobre os dois além de que Sam curte poesia alemã e Grace – bem, há algo no livro sobre os hobbys de Grace? Porque se há, é uma menção tão breve que eu não percebi. E isso é uma pena, porque são essas pequenas coisas que humanizam as personagens e te fazem se apegar a elas. Nenhum dos protagonistas me conquistou ou me fez torcer por eles. E, confesso: sei que todo mundo amou, mas eu achei os versinhos de Sam ridículos, no melhor estilo “estou revirando os olhos enquanto leio isto, cara”.
 
 Puh-lease.

Mas, vamos em frente! Os capítulos são curtos e os pontos de vista de Sam e Grace são intercalados em uma narrativa em primeira pessoa. Isso é algo que muita gente elogiou e, para mim, não fez lá muita diferença, considerando que nem um dos protagonistas me agradou. Reconheço que esse recurso nos permitiu conhecer mais sobre um maior número de personagens secundários e entender melhor determinados eventos, pois sabíamos o que estava acontecendo pelos dois lados. Por outro lado, também serve para matar o suspense, porque o que umas das personagens ainda não sabe, nós já sabemos pelo ponto de vista da outra.

Falando em suspense, as últimas 100 páginas do livro são muito menos “Sam e Grace: uma estória de amor” (o que, reconheçam, daria um ótimo título de reality show com subcelebridades no canal E!) e muito mais ação, com algumas boas surpresas, mas nada que você já não tivesse imaginado. Talvez se o livro todo seguisse esse ritmo, eu tivesse considerado Calafrio uma leitura mais prazerosa. E não é porque eu não gosto de uma abordagem mais subjetiva, focada em relacionamentos (“A insustentável leveza do ser” é um dos meus livros favoritos, e é super intimista), mas porque a primeira metade de Calafrio foi para mim simplesmente...chata.

Em suma: não gostei de Calafrio, mas isso não significa que seja um livro ruim. Queria MUITO amar essa estória após todos os comentários positivos que recebi a respeito, mas não deu. Então, certamente Linger não vai passar a integrar minha estante quando for lançado no Brasil, ainda neste começo de ano, dizem por aí (desculpem, nem tentei confirmar a informação, que deixou de ser do meu interesse hehe).
 Até porque tenho que parar de comprar livros e poupar meu dinheiro para, bem, você sabe.
E com Calafrio, me despeço dos romances sobrenaturais por algum tempo. Com exceção de "As Crônicas de Sookie Stackhouse", é claro. Reconheço que o fato de eu estar meio saturada com o gênero também influenciou na minha percepção deste livro.

Narrativa: 2/5
Desenvolvimento das personagens: 2/5
Fator X: Mais um livro em que a protagonista tem um cara praticamente morando no quarto dela sem seus pais nem ao menos suspeitarem. Porque, veja, isso é super plausível, não?
Avaliação Geral: 3/5 (só porque é bem escrito)

 


23 comentários:

Vicky Doretto disse...

Eu concordo com a maioria do que você disse (escreveu), mas apesar de tudo, eu acho que até gosto do Sam... apesar de toda a falta de iniciativa e tal dele. Já a Grace... bom, ela é meio estranha... kkk
Mas é bem escrito, pelo menos isso... estou enrolando pra escrever minha resenha de Shiver por ainda não ter uma opinião realmente formada sobre ele... rs
Li em inglês, então nem posso reclamar da tradução... kkk
E apesar de tudo, ainda quero ler Linger pra ver no que dá essa história... :X

PS: não vejo a hora da série começar tmb *-*

Lis disse...

Estou doida pra ler esse livro há tempos! Acontece que a frase "Se você gostou de Crepúsculo vai amar Calafrio" me deixou morrendo de medo, pois não consegui encostar nos livros da saga vampiresca =/
E agora com a sua resenha estou receosa, porque eu simplesmente entendi tudo o que você disse e acho que faz sentido!
Maaas, talvez eu dê uma chance e leia a série completa e em inglês (só porque adorei as capas haha quem sabe isso não me inspira na leitura? XD)

Adorei sua resenha, você escreve MUITO bem!

Beijos,

Lis
~BookaholicLis.com

Alessandra disse...

Ah. Poxa que vida :((

Eu ainda não li esse livro e para falar a verdade nem procurei muitas resenhas sobre... Mas a capa bonitinha e o fato de ter lobisomens tinha me deixado com vontade de ler.

O que mais me irrita em Crepúsculo é exatamente toda essa dependência um do outro. Porque quando eu comecei a ler, sabia que o enredo ia se basear só nos dois, só não tinha pensado que ia ser de uma forma tão exagerada :B

De qualquer jeito, acho que você criticou de uma forma bem legal (?) e eu ainda vou ler, para confirmar o que você disse sobre o frio, haha.

.Niii. disse...

kkkkkkkkkkkk
Ahh, eu amooo esse livro! huaha
Gosto é assim mesmO!
Flor, obrigada pela visita no faz parte...
E vc ganhou o sorteio da resenha premiada lá do blog.
Passa lá p/ conferir okay?
Preciso do seu endereço!

Bjo
Nii

Já estou seguindo. Gostei do seu blog!

book disse...

Heey Léka! Ainda não li esse livro, mas ainda quero ler :) Como você falou esse tipo de foco não te agrada pessoalmente, mas já pra mim... normalmente é o tipo de livro que eu amo! haha :) e cara, sério, és muito engraçada! eu ri horrores com sua resenha! =D
E como tu confirmou que o livro é bem escrito e tals, acho que realmente vou gostar - espero pelo menos! Caso contrário, me chame para acender a fogueira de sacrifício junto contigo ok? hahahaha
Ótima resenha guria!
Beijocas!

Nathalia disse...

... em um estranho golpe do destino, outro dia eu estava me perguntando qual seria a probabilidade de ter vontade de me matar lendo Calafrio e... aí está sua resenha. PARAPAPAPAM!

Então, é... as coisas que você apontou são as que eu temia, haha :( Obsessão não é minha área, decididamente...!

Ah, mas já li umas coisinhas da Maggie bem legais! Ela posta contos numa comunidade dela no LJ, Merry Sisters of Fate, com outras duas outras autoras... tem uns bem interessantes, recomendo, heh!

DeFatto! disse...

Não li Calafrio, mas adorei a honestidade e me diverti com as fotos e principalmente suas legendas. Acho que vou começar a guardar dinheiro para o caso de ataque zumbi, assim sem aviso prévio. pkpkspkspksk

Beijos,
Zoe, Três Lápis.

Kathy disse...

O que eu mais gostei de Shiver foi a linguagem da autora. Não sei como ficou a tradução, mas a forma como a Maggie Stiefvater escreve é realmente encantadora.
Realmente, a história não é la super empolgante, nem tem aquele fator "Uau, não acredito que passei a minha vida toda sem ler esse romance",mas eu eu gostei muito.
Acho que o grande tchan desse romance é que os dois sempre foram fascinados um pelo outro. (Apesar de muita gente ler e acreditar que eles sempre foram apaixonados... gente, não acredito que uma humana vá se apaixonar por um lobo só de olhar para ele! Hello, realidade?)
A Grace não é la grande coisa na história, não é uma personagem super carismática, mas eu gostei muito do Sam. Ele é bem mais explorado em Linger, enquanto a Grace é deixada um pouco de lado, mas, como sempre, o final desses romances é tenso. xD


Adorei a sua resenha! Apesar de ter torcido muito para que você gostasse do livro, adoro quando discordam da minha opinião. Realmente gosto de ler diferentes opiniões. Sem falar que me divirto com os seus comentários.

Beijos,
Kathy
Leitora Compulsiva

Giovana Joris disse...

Poxa vida :( Estava super querendo ler esse, e eu até gostava de crepúsculo, há algum tempo, mas não sei, essa história toda de lobisomens eu não... sei lá, não vou muito com a cara de lobisomens, por algum motivo ainda oculto, haha.
Mas acho que vou acabar lendo, porque eu até gostoo desse tipo de romance byronesco (?)
Pelo MENOS é bem escrito, né? O que não acontece com Crepúsculo/Lua Nova/Fenômenos naturais afins, que ":O" a escrita é péssima e a bella me dá náuseas.

Adorei a resenha, né Leka! Eu amo o jeito que você escreve e as imagensinhas HUISAHDI

Beijos!
Gi Joris
http://ispirazione.org/journal

Vanessa Sagossi disse...

Oi, Leca!
Eu ainda não tive a oportunidade de ler esse livro, mas eu gosto de amores platônicos. Lógico que sempre torço para que eles virem realidade, mas por algum motivos eu acho fofinho. Exatamente porque é super irreal!

Beijos,
Vanessa Sagossi
comentandoofilme.blogspot.com

Clarissa Santos disse...

ahh, já disse q adoro suas resenhas, Leka?<3
eu não li Calafrio e nunca tive muita vontade de ler... mas, até que algumas resenhas já haviam me deixado um tanto curiosa...
agora, que eu sei que você não gostou, vou passar LONGE! sério, nossos gostos literários são muito parecidos *o*
QUando eu estiver em dúvida sobre um livro vou te mandar ler primeiro, se você gostar, dai eu voulá e compro (y)
AHUAHUHUAHUAHUAHUAUAHUHUAHUAHUA

Sora Seishin disse...

Oi!!
Morri de rir com essa frase: "E o próximo livro que eu ler com um casal absolutamente dependente um do outro será queimado." :D
Eu gosto de romances, mas não sei se vou gostar desse. Estou dando um tempinho nos romances sobrenaturais ^^
Beijos

Eliza Grint disse...

NOSSA, AINDA BEM QUE EU LI ESSA RESENHA ANTES! HAAHAH
Estava a menos de uma hora pensando em qual seria o próximo livro que eu iria ler e pensei em Calafrio. O problema é EU TENHO SÉRIOS PROBLEMAS COM CASAIS. Não dá, não funciona comigo, essa melação toda e tal. Lord Byron era boêmio e divo [?], mas certas coisas não dá! HAHAHAH

RI MUITO com a sua resenha, foi muito útil pra mim HAHAHA

Peace and light,
Eliza

chris disse...

Sério q vc ñ gostou?
Eu li muita, mas muita resenha positiva deste livro que corri e comprei
Ainda ñ li, mas agora já fiquei com um pé atras, rs

Chris
Leiobooks

DeFatto! disse...

Selinho pra você ^^ http://treslapis.blogspot.com/2011/01/selinhos-20102011.html
Beijos,
Zoe, Três Lápis

Renata G. de Souza disse...

Achei que fosse só eu que pensava tudo isso =O' kkk
Acredita que ainda não consegui terminar, depois de meses? >.< ás vezes eu pego, leio um capítulo e não consigo continuar ç.ç
Também sentia frio enquanto lia XD surpreendente!
Achei o Sam muitoooo inocente >.< Gosto mais dos bad boys =D
Morri de rir com o que você falou "E o próximo livro que eu ler com um casal absolutamente dependente um do outro será queimado. De verdade." hahaha
Não é que eu não goste disso, mas as vezes enjoa XD
Léka você sabe entusiasmar alguém com seus textos!!! Adoro!!! =D

O livro da Luciane "Guardians" só vai chegar mês que vem :O Mas é claro que vou ler super rápido! Sério que tem yokais? =O Ia ser demais!
#Saudadesinfinitasdoinuyashatoo ^^'
Bjus =*

Beli disse...

Leka... assim vc me deixa perplexa! Adorei a resenha... ainda não li esse livro... odeio Crepusculo...mas gosto de Lorde Byron kkk
Calafrio está na minha estante, então vou acabar lendo... já resenha de gente que adorou o livro, de outros que não gostaram... mas vc apontou os pontos altos dos livros, e isso me permite lhe dar uma chance! vou ver que conclusão tiro, né.. =)

bjusss

Victor disse...

Entao a frase faz sentido e ponto final.Eles assustam todos com essa de " é o novo crepúsculo " p/ livros e filmes. Eles tem que entender que isso nao é bom, um crepúsculo já tá ruim demais. Matched teve esse comentário atribuído apesar de bem diferente, nao que nao esteja me decepcionando um pouco, mas isso é outra história. Pra mim amor platônico só existe se for erótico. Anne Rice tem muitas paixoes platônicas em A Hora das Bruxas, mas ela os mistura com erotismo, tornando tudo mais natural e passional, como bem a palavra dá a entender. Essas autoras contemporâneas tem que entender que amorzinho miojo - desculpa, nao evitei o trocadilho de instantâneo - e jovens castos nao rola !
Agradeco a você por nao me fazer gastar presentes ou dinheiro com o que nao vale a pena. E adivinha para onde a economia vai ? Um futuro MMP :)- é propaganda, quero comissao pelo sorriso kkk

Beijos,

Victor

PS.: E lobisomens sao bestas enormes, nao lobinhos podres ! Alguém já viu A Hora do Lobisomem, pelo amor de Deus !

Poiison Giirl disse...

Ah Leka, eu gostei muito desse livro. Fiquei triste por você não ter gostado dele tanto quanto eu. Bem, mas eu sou uma romantica melosa assumida. Mas você foi uma boa resenhista. Tem momentos que concordo com você, pois a Maggie nos faz ficar nos nervos. Espero que você mude de opinião, pois Calafrio foi um livro muito bom para mim.

PS.: Aproveitando a situação, vim-lhe avisar que te listei em alguns selinhos. aqui.

Beijos, Júlia.
Tijolinha, Books & Fanfics

danamartins disse...

Quase não reconheci que era o Shiver, que a Amazon tanto tentou empurrar pra mim. De quem foi a ideia "genial" de colocar essa capa?
A sinopse até me deu vontade de ler, mas se faz lembrar de Twilight, nem quero. Já li algo assim, é bom não esgotar. Então, apesar de me interessar por essa coisa do calafrio, vou deixar pro próximo verão, ou o outro.

Engraçado é que eu tava pensando nessa relação da Bella e do Edward hoje, mas não consigo lembrar por que. o.õ

Larissa Gaes disse...

Quando peguei nesse livro eu pensei, isso é a Bella e o Jacob (tá ainda não li, mas não sei se quero dá uma chance a ele, já que tem vários livros na frente rs), é amor obsessivo não é pra mim! Pena que cada vez mais que eu leio umas resenhas desse livros , pouca vontade sinto de lê-lo. Triste, eu sei. Fazer oque, né? Vamo ver né se alguém quizer comprar pra mim, eu crio coragem pra ler ele. rs

Boa resenha, adorei os comentários. haha

Léka disse...

Queridos e queridas, muito obrigada pelos comentários! Dessa vez não vai dar para fazer respostas individuais por falta de tempo, mas li todos com muito carinho ;)

E para quem eu desestimulei a ler Calafrio, invistam em MMP como o Victor apontou abaixo =D rs

Ou comprem Dairy Queen, que, vocês já sabem, eu achei o último frango da Somália em termos de literatura YA (desculpem se isso soou politicamente incorreto, já adianto que não era a intenção, mas não consigo pensar numa metáfora melhor)!

:*,
Léka

Clarisse Cunha disse...

Leka!!!! Quanto tempo que não venho aqui né??? Mas quando venho, o que vejo? Que vc não gostou do livro fofoooooooo e que está entre os meus favoritos.

Achei muito interessante a sua resenha. Tem fundamentos tudo que vc disse, principalmente pela Grace não ter muita personalidade, parecia que tudo nela era em torno do "meu lobo" mas tbm discordo de outras coisas. É sempre assim né, uns amam e outros não.

Uma das coisas que gostei, é que vc gosta de escrever! E muitooooo! Adoro ler resenhas com mais de 3 parágrafos - o que é raro em alguns blogs. Vc é uma raridade viu! Parabéns!

XOXO, da Lisse

P.S:
O que é MMP que o Vitor tanto fala?? Boiei!